Os piores quandos

Quando eu como e não sei se (e como) ele está se alimentando.
Quando eu durmo e não sei por quantas noites em claro seus pesadelos o têm feito passar.
Quando eu respiro e sinto o sufocar que está em sua vida.
Quando eu penso e tudo que vejo é sua dor de ser.

Vem de repente, como que trazido pelo ar, um enjôo, tontura, choro, boca seca, amarga, lágrimas, garganta fechando, fogo e dor.
Peço ao deus universo que se apiede de nós e nos permita a benção do esquecimento.

Anúncios
Esse post foi publicado em Diário e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s